Plantas e animais (leia até o final!)

A convivência dos animais com as plantas depende de muitos fatores. Um animal mais jovem e brincalhão poderá ver na planta uma forma de irritar seu dono ou de chamar sua atenção, ao perceber o que provoca ao destruí-la ou comê-la.

Ou mesmo a sede ou fome sentida nos intervalos das rações pode levar o animal a mastigar as plantas dos seus vasos e jardins. Normalmente, os cães e os gatos começam a procurar as plantas por falta de atividade física ou mental. Eles podem estar se sentindo entediados, sozinhos, inseguros ou nos casos de filhotes, sua gengiva pode estar coçando muito em função da troca dos dentes e, por isso, procuram algo interessante para fazer.

Mas você deve conhecer, também, cães que adoram comer grama. Isso ocorre somente para limpar a barriga, algo que ele comeu e não fez bem e a grama ajuda a aliviar. A grama tem fibras, minerais e 3 vitaminas muito boas para o cachorro: vitamina A, E e K. A vitamina A melhora a visão e acelera o crescimento, já a E é uma vitamina antioxidante, que evita intoxicação com algum alimento. E a vitamina K regula a circulação do sangue e faz com que as proteínas cheguem ao organismo. O cão pode melhorar sua digestão, mas também pode vomitar e defecar logo depois de comer grama. Isso não é problema, mas se achar que está demais, leve-o ao veterinário.

Ele pode gostar do sabor e fazer isso por achar bom, mas se está fazendo isso com muita frequência, funciona como um alerta, afinal é uma atividade para que ele regule o estômago ou adquira nutrientes que você não está oferecendo. Levá-lo ao médico veterinário é fundamental para manter seu cão sempre diagnosticado e tratado. 

Já os gatinhos precisam ingerir ervas de gatos (que podem ser compradas ou você pode germinar alpistes ou outros grãos) para ajudar a ingestão dos pelos que ficam no trato digestivo. Já os gatinhos precisam ingerir ervas de gatos (que podem ser compradas ou você pode germinar alpistes ou outros grãos) para ajudar a ingestão dos pelos que ficam no trato digestivo.

Os animais adoram as plantas, mas algumas possuem princípios ativos que podem ser tóxicos ao serem ingeridos.

plantas-toxicas-para-pets.jpg

Princípios ativos são os componentes químicos produzidos pelas plantas, que lhes conferem atividade terapêutica. As substâncias ativas das plantas medicinais podem ser produtos do metabolismo primário (indispensáveis à vida da planta) e produtos do metabolismo secundário (próprios da individualidade das plantas). Estes princípios ativos são extraídos para fitoterápicos, medicamentos, essências, óleos essenciais, mas dependendo podem ter alto grau de toxicidade.

No Brasil já existe uma descrição de 113 plantas tóxicas (RIET-CORREA et al.,2007), sendo destaque nas intoxicações em pequenos animais as plantas ornamentais (RIBOLDI, 2010). Cães e gatos podem ter acesso às plantas tóxicas em seu ambiente, como jardins ou no interior de residências, devido ao desconhecimento do caráter tóxico pelo proprietário (MILEWSKI; KHAN, 2006). Os casos de intoxicação normalmente ocorrem em animais jovens.

Entende-se por planta tóxica todo o vegetal que, ingerido por um organismo vivo, seja capaz de causar danos que refletem na saúde e vitalidade. A ação tóxica de uma planta se deve, como já falamos, a presença de constituintes químicos ou princípios ativos tóxicos e deve-se destacar, ainda, que a intoxicação dependerá da quantidade de substância absorvida e da natureza dessa substância.

A seguir, alguns exemplos:

 1. Brugmansia suaveolens ou Cartucheira - por ser uma planta com lindas flores é muito usada em jardins, mas ela contém alcaloides tropânicos ou beladonado, que ao ser ingerido - principalmente por gatos que adoram brincar com suas flores - passam a ter sintomas neurotóxicos, podendo causar alucinações e também sintomas cardíacos.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

2. Alamanda catártica, Azaleias (Rhododendron) ou Espirradeiras (Nerium oleander), possuem glicosídeos cardiotóxicos, e podem causar sintomas cardiológicos, digestivos e uma infinidade de outros sintomas graves, então se seu animal ingeriu uma dessas plantas vá com ele ao veterinário.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

3. Hortênsia, possui glicosídeo ciano gênico que causa cianose, dispneia, sintomas digestivos, neuro tóxicos também.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

4. Palma-de-ramos, Cica possuem glicosídeos e BMAA, e causam sinais digestivos, neuro tóxicos e hepatotóxicos.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

5. Bico de papagaio, Coroa de Cristo (ambas Euphorbias), contém Latex irritante, um líquido com aspecto leitoso que contem diterpenos, flavonoides e triterpenos, que causam lesões cutâneas.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

6. Lirio de Paz, espada de São Jorge, Jiboias: possuem cristais de oxalato de cálcio. Já a Cheflera, Comigo ninguém pode, Copo de leite e Costela de Adão, além deste cristais ainda possuem saponinas. Ao mastigar estas plantas passam a ter sintomas digestivos (náuseas, vômitos etc) nefrotóxicos, irritação da mucosa, dor, dermatite, queimaduras, além de outros – disfagia, depressão, fraqueza muscular. São plantas altamente tóxicas.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

7. Prímula ou Primavera, possuem saponina e quinona que causam coceiras, dermatites, vômitos, dispneias, convulsões.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

8. A Mamona possui toxoalbumina e alcaloides ricinina causando sintomas neurotóxicos, laxativos e digestivos.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

9. Cinamomo ou árvore santa, rica em triterpenos causam sintomas gastrointestinais e do sistema nervoso central.

plantas-toxicas-para-animais.jpg

 

É comum que se faça uso de plantas em remédios fitoterápicos também para animais, a advertência dos especialistas é não misturar com remédios alopáticos porque as interações podem ser danosas e que não se deve usá-los sem consultar o veterinário.

Entre os medicamentos fitoterápicos mais usados: Arnica, Guaco, Babosa, Citronela, Melaleuca, Catnip, Neem.

Em resumo:

Copo de leite

 

Deve ser mantido longe não só dos gatos, mas também de crianças. A flor, as folhas e os caules são venenosos e causam irritação, dificuldade de engolir e salivação excessiva.

Antúrio

Irritação, dificuldade de engolir, vômitos e diarréias.

Espada de São Jorge

Irritação, salivação excessiva, dificuldade de engolir.

Violeta

Gastrite, diarreia, vomito, problemas respiratórios.

Cyclamen

Sintomas estomacais, diarreia, gastrite.

Aspargo samambaia

Ataca o sistema sanguíneo, levando à anemia.

Dama da noite

Náuseas, diarreia, vômitos e problemas neurológicos.

 

Hortência

Vômito, diarreia e gastrite. 

Philodendrons

Irritação, excesso de saliva e dificuldade para respirar.

Tulipa

Irritação, vômito, diarreia e dificuldades respiratórias. 

 

Comigo ninguém pode

Irritação, ardor, salivação excessiva e dificuldade de engolir.

Dracaena

Vômitos, gastrite e apatia.

Azaléia

Vômitos, diarreia, convulsões e perda da coordenação motora. Aliás, em alguns casos, a ingestão de azaleia pode levar até mesmo à morte.

Bico de papagaio

Apenas o contato com as folhas pode causar irritação. Além disso, se ingerida, causa problemas digestivos graves, como diarreia, gastrite e vômito. Então, mantenha a planta longe dos gatinhos.

Lírio

Todas as partes da planta são venenosas e causam irritação, salivação excessiva, dificuldade de engolir e problemas respiratórios. 

Em alguns casos, causa até mesmo problemas neurológicos, como convulsões e dificuldade motora. Portanto, só tenha a planta em casa se ficar exposta em local de difícil acesso ao animal.

Hera

Tóxica por inteira, o seu óleo “urushiol” irrita principalmente mucosas, causando coceira excessiva, irritação nos olhos, irritação oral, dificuldade de deglutinação e até mesmo de respiração. Por ser uma planta trepadeira, pode ser encontrada no formato de arbustos, misturada a outras vegetações.

Glicinia

Apesar de ser deslumbrante, com flores que caem como cascata nas cores branco, rosa ou azul, essa planta é completamente tóxica. O consumo de suas sementes e vagens pode provocar diarreia, cólicas, náusea e vômito. Por isso, é importante que ela fique fora do alcance de animais de estimação e crianças, que acabam sendo atraídas pela beleza da planta.

Mandioca brava ou Castelinha

Quando ingerida crua, a Castelinha se torna extremamente tóxica, pois suas raízes e folhas possuem uma substância chamada linamarina que pode até mesmo matar. Os efeitos provocados são asfixia e convulsões. Em seu tratamento, é necessário mais que depressa a hospitalização, lavagem gástrica e por fim um tipo de antídoto específico.

Tomate verde

O tomate é uma fruta altamente consumida quando madura. Mas, os que possuem animais de estimação, devem tomar cuidado, pois quando verdes os frutos e suas folhas, possuem alta quantidade de uma substância tóxica chamada tomatina. A tomatina causa salivação, diarreia, vômitos, arritmia cardíaca e dificuldade na respiração.

Dedaleira

Também conhecida como “campainhas”, a planta é tóxica por inteiro, com ênfase nas flores e frutos, que se ingeridas afetam diretamente o coração. Há quem a cultive para fins medicinais ou ornamentais, pois seu componente considerado tóxico em alguns casos, também pode ajudar os que sofrem de insuficiência cardíaca. Após seu consumo podem surgir vômitos, diarreia.

Cannabis

O elemento tóxico presente na cannabis pode agir por dias no sistema no sistema nervoso central do animal e, por isso, ela é considerada uma planta extremamente nociva. A própria fumaça exalada da queima da planta pode causar malefícios como a fotofobia. Os sintomas podem ser notados nas primeiras horas após seu consumo, caracterizados por desorientação, ritmo cardíaco lento e tremores, salivação excessiva, depressão e até mesmo coma.

Tulipa

Apesar de muito populares, as Tulipas também são tóxicas e seu bulbo é prejudicial principalmente para gatos. Alguns dos sintomas comuns após sua ingestão são vômitos, irritação gástrica e diarreia.

Avenca

Apesar de não ser nativa do Brasil, essa planta é geralmente cultivada com base na crença de que ela é capaz de ajudar a espantar o mau-olhado. Mas, consumir essa planta pode ocasionar futuramente em câncer.

Fumo bravo

O componente tóxico do fumo-bravo está em toda a planta, com concentrações maiores em seus frutos. Esta é uma espécie muito adaptável e rústica, facilmente disseminada por pássaros. A ingestão da planta ocasiona em inflamação do intestino delgado (duodeno), gastrite, náuseas, diarreia, vômitos e aumento das enzimas hepáticas.

Avelos

Possui no seu látex as toxinas diterpenóides, ésteres diterpênicos de forbol, ingenanos, tiglianos, dafnanos e dafnanos entre outros.

Cróton

Parte toxica é a semente.

Aspargo samambaia

Esse tipo de samambaia se caracteriza por ter uma coloração mais clara, com folhas bem pequenas e finas. Sua aparência charmosa passa uma sensação de leveza e simplicidade. Entretanto, o aspargo-samambaia ataca o sistema sanguíneo, levando à anemia.

Ficus

Quando ingeridas, podem causar vômitos, diarreia, úlceras estomacais e fortes cólicas intestinais. Algumas plantas, como a figueira (Ficus carica) possuem seiva capaz de realmente queimar a pele, se não for imediatamente lavada com água e sabão.

Begônias

A Begônia, que tem no tubérculo a sua parte mais tóxica, pode provocar irritação da boca.

 

plantas toxicas para animais

Essencial estarmos a par de todas estas informações, mas precisamos considerar um aspecto importante: então não é possível ter animais e plantas juntos?

Vamos pensar:

Desde que o mundo é mundo os animais convivem em perfeita harmonia com a natureza, os predadores sempre foram outros animais; a capacidade do animal de sobreviver é tão forte quanto a das plantas, com a diferença que na escolha adaptativa os animais são móveis, se movimentam, enquanto as plantas são imóveis, e por isso seu sistema de defesa pode ser tão criativo que o animal não se dê conta. Um animal sabe fugir de uma planta com espinhos por exemplo, mas pode não reconhecer uma seiva láctea como perigosa. Então precisamos pensar que uma intoxicação por plantas será um acidente doméstico. Se você coloca suas plantas em local seguro a chance do animal querer explorá-la é muito pequena. Importante se atentar com relação aos pequenos animais, pois eles podem ingerir outras coisas perigosas - além das plantas - por curiosidade.

Outro aspecto: um animal é educável, você pode aos poucos mostrar a ele outras formas de se divertir para que ele deixe suas plantas sossegadas. O animal que come sempre as plantas precisa ser observado mais de perto por seu dono.

 Então, fizemos esse artigo para mostrar que estamos atentos ao seu pet mas não deixe de levar uma planta que você ama para casa, outras coisas terão de ser ensinada a ele, então inclua essa lição.

Quanto aos suportes de plantas e vasos de cerâmica, recomendamos que não coloquem vasos pesados em suportes altos, pois poderá ser perigoso não só para animais como também para crianças.

Leve seu pet para brincar nos jardins, mantenha-o em contato constante com a natureza que você verá que ele vai melhorar sua parceria com sua urban jungle.